Connect with us

Alimentação

Os Alimentos que Combatem o Cancro

Published

on

Nenhum alimento “sozinho” pode protegê-lo contra o cancro mas…

Pesquisas modernas mostram que uma dieta repleta de vegetais, frutas, cereais integrais, feijão e outros alimentos vegetais ajuda a reduzir tremendamente o risco para a maioria dos cancros. Em estudos laboratoriais, muitos minerais individuais, vitaminas e fitoquímicos demonstram poderosíssimos efeitos anti-cancro.

Aqui apresentamos-lhe a lista dos melhores alimentos anti-cancerígenas segundo os melhores estudos científicos e comprovado em laboratório.

MAÇÃS

As maçãs fornecem fibras dietéticas e compostos de polifenol que se associam com micróbios intestinais para criar um ambiente que pode ajudar a reduzir o risco de cancro.  Estudos populacionais observacionais ligam maçãs com um menor risco da forma receptor-negativa do estrogénio (ER-) de cancro da mama.

ESPARGOS

As mensagens que circulam na Internet sobre a prevenção e cura do cancro dos espargos são um resultado infeliz da interpretação errada e da extensão excessiva dos resultados do estudo laboratorial. Este vegetal é, no entanto, um excelente alimento para desfrutar como parte de uma dieta de saudável para ajudar a reduzir o risco de cancro.

MIRTILOS

Os mirtilos contêm muitos fitoquímicos e nutrientes que mostram potenciais efeitos anti-cancro em estudos laboratoriais.

Vários estudos descobriram que comer mirtilos aumenta a atividade antioxidante no sangue, bem como mostrando um grande potencial para prevenir danos no ADN. Os estudos são limitados e os resultados variam, pelo que é necessária mais investigação para compreender o papel dos mirtilos nestas áreas.

BRÓCOLOS E LEGUMES CRUCÍFEROS

A ligação entre os vegetais crucíferos e a prevenção do cancro é relativamente bem estudada.

Estudos laboratoriais mostraram várias maneiras que o sulforaphane, formado a partir de glucosinolatos em brócolos, poderia impedir o desenvolvimento e progressão do cancro da próstata. Os ensaios limitados de intervenção humana apoiam este potencial, no entanto, os estudos populacionais que se seguiram aos homens durante 9 a 22 anos não mostraram qualquer ligação com o total – ou qualquer forma – de cancro da próstata até agora.

COUVE-DE-BRUXELAS

As couves de Bruxelas estão cheias de fibras, nutrientes e fitoquímicos com potencial para evitar o cancro. Estes compostos reforçam as defesas antioxidantes do ADN e promovem a sinalização celular saudável.

Os investigadores podem agora medir os níveis urinários dos produtos de degradação a partir de compostos de glucosinolatos de vegetais cruciferos. Isto pode fornecer uma imagem mais precisa de quantos vegetais crucíferos as pessoas comem, e a sua absorção destes compostos ativos, do que tem sido possível com questionários dietéticos.

CENOURAS

O potencial de luta contra o cancro das cenouras provém de ser um vegetal não amido, bem como uma fonte de carotenóides e outros fitoquímicos. Beta-caroteno é o carotenóide que tem recebido mais atenção, mas a pesquisa sobre outros compostos da cenoura está em andamento.

COUVE-FLOR

Apesar dos conselhos nutricionais para “comer o arco-íris”, a couve-flor fornece um exemplo do porquê de não ignorar os alimentos de cor branca. É um vegetal crucífero rico em nutrientes que combina bem com muitos alimentos e sabores.

Os vegetais crucíferos têm sido relativamente bem estudados no que diz respeito à prevenção do cancro. Em estudos laboratoriais, os seus compostos mostram um bom potencial de proteção. Até agora, estudos humanos de alta qualidade dão uma imagem mista sobre o menor risco de cancro. É possível que os benefícios variem com base nas diferenças individuais e na forma como estes vegetais são preparados.

CEREJAS

As cerejas estão entre os alimentos mais elevados em melatonina, o que mostra potencial anticológico preventivo em estudos laboratoriais. A investigação humana limitada sobre cerejas como fonte de melatonina investigou o potencial para melhorar o sono, mas pouco se sabe sobre se comer cerejas ricas em melatonina contribui para a prevenção do cancro.

CAFÉ

Manchetes noticiarias baseadas em estudos individuais variam de retratar o café como uma fonte de antioxidantes protetores a sugestões de que o café representa um risco de cancro. No entanto, a investigação cientifica mostra que beber café reduz o risco de cancro do endometrial e do fígado.

No café descafeinado, embora a cafeína seja mais baixa e o teor de ácido fenólico também possa ser ligeiramente menor, os fitoquímicos protetores ainda se somam. A maioria dos estudos humanos mostra uma redução semelhante no risco de cancro quando se olha para o café regular e descafeinado.

Quando se ouve preocupações sobre um composto chamado acrilamida em grãos de café torrados, é importante entender que não foram estabelecidas ligações entre acrilamida na alimentação e o risco de cancro para os seres humanos. O acrilamida aumenta o risco de cancro para animais de laboratório em quantidades muito mais elevadas do que as pessoas recebem do café.

ARANDOS

Os arandos fornecem uma quantidade modesta de vitamina C, mas a principal fonte de potencial de cranberries para a prevenção do cancro provém do seu pacote de compostos fenólicos. Estes incluem polifenóis, encontrados na maioria das bagas, bem como um tipo relativamente único de proantocianidina. Como muitos destes compostos são moléculas complexas desagregam-se por micróbios intestinais, há potencial para efeitos amplos na microbiota intestinal e na inflamação.

LINHAÇA

A influência potencial da linhaça nos cancros da mama, próstata e outros cancros relacionados com as hormonas tem levado a um interesse no seu papel na prevenção e sobrevivência destes cancros. Os resultados mostraram resultados mistos e é necessária muito mais investigação humana.

ALHO

Pesquisas laboratoriais mostram que os compostos de allium no alho oferecem atividade anti-cancro, mas a confirmação de que o alho reduz o risco de cancro está faltando em estudos humanos.

São necessárias mais pesquisas para compreender como o papel do alho no risco de cancro pode variar em função da quantidade, absorção, métodos de preparação e diferenças individuais.

TORANJA

A toranja é um queimador de gordura? Muitas pessoas introduzem toranja na dieta para perder peso. Mas a pesquisa sugere que qualquer ajuda à perda de peso que a toranja fornece não é necessariamente diferente do que obtém de qualquer outro alimento que fornece baixas calorias numa porção satisfatória. Independentemente disso, a toranja tem muito a oferecer para além de qualquer ligação à gestão do peso, devido ao potencial protetor dos seus nutrientes e fitocomponentes contra o cancro.

Se gosta de toranja ou sumo de toranja e toma qualquer medicação, fale com o seu farmacêutico ou prestador de cuidados de saúde. A toranja e o seu sumo podem causar problemas em certos medicamentos para chegar às células do corpo, aumentando o risco de efeitos colaterais ou reduzindo a eficácia da medicação. O seu prestador de cuidados de saúde pode ser capaz de mudar a sua receita para algo não afetado pela toranja, ou aconselhá-lo a gerir o consumo da toranja.

UVAS

A investigação está a investigar os efeitos dos compostos proantocianidinas a partir de sementes de uva e peles. Estudos laboratoriais sugerem que elas, ou compostos micróbios intestinais produzidos deles, podem influenciar a expressão de genes relacionados com o desenvolvimento do cancro. É necessário muito trabalho para perceber se isto tem aplicações práticas nos hábitos alimentares para reduzir o risco de cancro.

REPOLHO – COUVE

Os resultados da pesquisa mostram que os carotenóides encontrados em vegetais verdes escuros, como a couve, podem agir como antioxidantes e impulsionar as defesas antioxidantes do próprio corpo. Estas defesas ajudam a impedir os radicais livres de danificar o ADN que pode levar ao cancro. A vitamina C na couve também é um poderoso antioxidante, e ajuda a inibir a formação de agentes cancerígenos.

LARANJAS

Uma das principais opções de frutas nos países ocidentais, e o mais popular citrino, as laranjas podem fornecer antioxidantes e outras formas de proteção contra o cancro. Uma curiosidade sobre as laranjas é que muito mais são consumidos como sumo, do que como fruta fresca inteira. Mais pesquisas são necessárias para esclarecer como quaisquer diferenças no teor de nutrientes, fitocomponentes e fibras podem influenciar a proteção contra o cancro.

FEIJÃO SECO, ERVILHAS E LENTILHAS (LEGUMINOSAS)

Fibra dietética, amido resistente e compostos fenólicos presentes nos feijões podem apoiar o crescimento de bactérias intestinais promotoras da saúde (o microbioma). São necessárias mais investigações para compreender como as diferenças individuais e as diferentes formas destes compostos contribuem para a proteção contra o cancro.

FRAMBOESAS

As framboesas oferecem benefícios distintos a uma dieta saudável focada na redução do risco de cancro.

A sua combinação única de fibras dietéticas elevadas e compostos de ellagitannin desempenham um papel importante no potencial para reduzir o risco de cancro. Diferenças individuais nos genes e na microbiota intestinal podem influenciar a atividade anti-cancro desta baga.

SOJA

Os resultados da investigação diferem sobre se os alimentos de soja são suscetíveis de reduzir o risco de cancro. A variedade de resultados do estudo pode refletir influências que diferem pelo tipo de alimento de soja, tempo de vida que são consumidos, o tipo de cancro, e diferenças individuais na genética, microbiota intestinal ou dieta geral.

Resultados consistentes de estudos populacionais indicam que não há risco acrescido para sobreviventes de cancro da mama que consomem soja. De facto, evidências limitadas mostram o potencial de uma maior sobrevivência global e talvez uma diminuição da recorrência, entre as mulheres um ano ou mais após o diagnóstico que consomem quantidades moderadas de soja.

ESPINAFRE

Carotenóides como os dos espinafres restringem o desenvolvimento do cancro em estudos laboratoriais, mas não é claro se a sua proteção contra o cancro da mama é realmente única para tumores er-negativos (ER-). As influências hormonais podem simplesmente mascarar a proteção contra tumores ER+.

ABOBORAS

A crescente investigação defende que alimentos como as abóboras, que são ricas em beta-caroteno e outros carotenóides, como parte de hábitos alimentares que podem reduzir o risco de cancro. Nos estudos populacionais, níveis mais elevados de carotenóides estão ligados a um menor risco de cancro geral. Estudos recentes começaram a investigar diferenças genéticas que influenciam a absorção das pessoas destes compostos importantes.

MORANGOS

O corpo crescente da investigação científica sobre morangos está focado no potencial dos seus compostos para influenciar os genes que regem o desenvolvimento do cancro. Estudos anteriores focaram-se apenas em como o fruto apoia as nossas defesas antioxidantes.

CHÁ

Resultados inconsistentes em estudos de risco de chá e cancro podem refletir diferenças que ainda não compreendemos totalmente relacionadas com o tipo de chá e como é preparado.

Além disso, as diferenças individuais nos micróbios da microbiota intestinal que convertem compostos no chá para outros compostos que podem ser absorvidos, e as diferenças genéticas no manuseamento destes compostos acrescentam complexidade. E a interação com outros alimentos e com escolhas de estilo de vida (como fumar e beber álcool) também pode afetar se uma relação entre o risco de chá e o risco de cancro é identificada num estudo.

TOMATES

As primeiras investigações ligaram os tomates à redução do risco de cancro da próstata, mas a evidência desta ligação enfraqueceu à medida que a qualidade da investigação melhorou.

No entanto, as complexidades dos tipos e do timing do desenvolvimento do cancro, e as quantidades de tomate, formas e possíveis sinergias com outros alimentos, deixam muitas perguntas sem resposta sobre potenciais benefícios.

NOZES

Todas as nozes estão presentes em qualquer dieta promotora da saúde, mas diferem nos nutrientes e compostos vegetais que fornecem. As nozes são únicas de várias maneiras e têm sido estudadas mais extensivamente do que outros frutos secos no que diz respeito à prevenção do cancro.

Pesquisas emergentes mostram potencial para as nozes contribuirem para uma dieta cancerígena-preventiva através de vários compostos prsentes nas nozes e que possivelmente trabalham em conjunto. Ellagitannins, melatonina e gama-tocopherol podem trabalhar cada um através de diferentes caminhos para reduzir o stress oxidativo, a inflamação e a expressão genética que podem levar ao cancro.

GRÃOS/CERIAIS INTEGRAIS

Os grãos integrais fornecem fibras e nutrientes dietéticos para além do que você pode obter dos grãos refinados. A investigação emergente está a explorar se os grãos integrais intactos (como arroz integral, farro, bulgur, sorgo e quinoa) oferecem benefícios adicionais para além do pão, cereais e massas feitas de farinha de cereais integrais moídas e minimamente processadas.

Avaliar com precisão o consumo de cereais integrais é um desafio, mas crucial para estudar a sua influência no risco de cancro. Um indicador são os níveis corporais de compostos alquiloresorcinois, uma medida que ganha popularidade junto dos investigadores. Mas mesmo isto pode não capturar todas as formas de grãos inteiros consumidos.

A sua escolha por uma dieta saudável é a sua principal arma contra a maioria dos cancros, introduza estes alimentos no seu dia a dia para obter bons resultados e ter maior qualidade de Vida.

Fábio Rosa (BILAL) é um Freelancer Investigador de Religião e Espiritualidade, Entusiasta por Terapias Alternativas, Terapeuta, Kabbalista, Professor e Mestre de Reiki, É o Fundador da THT-Healing (The Hermit Healing Technologies). "A minha paixão é trabalhar para que todos tenham uma vida melhor"

Alimentação

Benefícios dos Tomates para a Saúde

Published

on

Os maravilhosos benefícios dos tomates para a nossa saúde são imensos, neste artigo explicamos quais são esses benefícios e como consumir tomates pode ser uma forma de cura.

O tomate é um superalimento que é muito benéfico para manter o seu coração saudável, ajudando na perda de peso e tornando a sua pele bonita. Os tomates são usados em vários pratos para fazer saladas, chutney, sopas, molho, purê e vegetais, mas os benefícios máximos para a saúde podem ser colhidos apenas comendo-os crus. Mas, para sua surpresa, o tomate cozido também tem valor nutricional altissimo.

Estes são os melhores benefícios para a saúde de comer tomates:

Muito bom para o seu Coração

Os tomates são muito ricos em potássio, o potássio é útil para prevenir a frequência cardíaca e controlar a pressão arterial, o que minimiza a chance de hipertensão e acidente vascular cerebral. Os resultados também mostram que o consumo de tomate cru pode reduzir o colesterol LDL e os triglicéridos no sangue. Estes lípidos são os principais culpados na acumulação de gordura nos vasos sanguíneos que desencadeiam ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais.

Previne doenças Oculares

O tomate é uma fonte muito rica de vitamina A, que melhora a visão e cura a cegueira nocturna, além de prevenir a degeneração macular. A vitamina A é um antioxidante que é formado no corpo pelo excesso de betacaroteno. Os antioxidantes combatem os radicais livres que previnem outros problemas relacionados com a visão. Além da vitamina A, o tomate tem flavonoides do complexo B, tiamina, folato e niacina que também curam doenças oculares e doenças relacionadas com a visão.

Mantêm os Ossos Saudáveis

Rico em cálcio, o tomate pode tornar os seus ossos fortes e evitar que fiquem quebradiços. O tomate é muito rico em antioxidantes protetores dos ossos, betacaroteno que mantém os ossos e dentes saudáveis. Os antioxidantes presentes nos ossos protegem o corpo dos radicais livres que danificam os ossos. O licopeno protege e estimula os ostoblastos que são essenciais para as células de construção óssea. Portanto, comer tomate garante ossos saudáveis. A vitamina K presente no tomate também é responsável por tornar os ossos fortes.

Provavelmente o maior anti-cancerígeno da Natureza

Este vegetal vermelho ajuda muito na prevenção do “câncer-cancro”, pois previne muitas reações indesejadas nos pulmões, cólon e mama que causam o cancro. Os antioxidantes presentes no tomate previnem a reação carcinogénica no organismo, bloqueando os radicais livres. Um Estudo revela que alto nível de licopeno presente no tomate vermelho pode minimizar o risco de cancro de próstata, colorretal e de estômago.

O licopeno é um poderoso antioxidante que abranda a taxa de crescimento das células cancerígenas. E tomates cozidos têm mais licopeno do que tomates crus, então consuma sopa de tomate ou coma tomates cozidos diariamente para prevenção de células cancerosas no seu corpo.

Comer tomate mantém o seu sistema digestivo saudável

Os tomates realmente ajudam a tornar o seu sistema digestivo saudável, curando a diarreia e a prisão de ventre. A fibra é encontrada abundantemente no tomate, por isso ajuda na excreção suave e mantém o intestino limpo. As fibras também ajudam a estimular o peristáltico nos músculos digestivos lisos e curam o estômago inchado e a acidez. O sistema digestivo suave e saudável mantém várias doenças afastadas e previne condições como o cancro colorretal.

A sua pele ficará impecável e saudável

O tomate é rico em antioxidantes, licopeno que atuam como protector solar natural. Protege a sua pele contra danos e cancro da pele. O consumo de tomate pode proteger a pele contra o eritema induzido pelos raios UV. As máscaras faciais de tomate são muito eficazes na protecção da pele contra os raios solares nocivos que causam a descoloração da pele.

Além disso, o tomate é rico em vitamina A, C e betacaroteno que neutraliza os efeitos nocivos dos radicais livres que causam escurecimento da pele, rugas prematuras, marcas de pigmentação, acne e outras manchas na pele. Os radicais livres no sangue também podem levar a danos celulares. Por isso, mastigue tomate diariamente para neutralizar os efeitos nocivos dos radicais livres na pele e manter a sua pele saudável e impecável.

Controla a diabetes

O consumo de tomate mantém o açúcar no sangue sob controle. Um estudo da Associação Médica Americana revela que o consumo de tomate reduz o stress oxidativo da diabetes tipo 2.  Enriquecido com crómio, comer tomates crus diariamente mantém o açúcar no sangue sob controlo. Como todos os alimentos sem amido, o tomate tem baixo nível de IG. Os pesquisadores provaram que comer tomates pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares associadas ao diabetes tipo 2.

Cura infecções do trato urinário

O consumo de tomate minimiza a chance de infeções do trato urinário, bem como infeções da bexiga. Como os tomates são ricos em água que estimula a micção, por isso sendo diurético pode eliminar toxinas do seu corpo em forma de sal, ácidos úricos e algumas gorduras também.

Aumenta a fertilidade masculina

Um estudo publicado em 2017 analisou os efeitos de um sumo diário de 7 onças (oz) de tomate contra uma cápsula antioxidante ou placebo entre homens com infertilidade por 12 semanas. O sumo de tomate aumentou significativamente os níveis de licopeno no sangue e o movimento do esperma em comparação com o grupo controle (placebo). A mobilidade dos espermatozóides é um indicador de fertilidade. A cápsula placebo antioxidante, no entanto, não apresentou melhorias significativas.

Neutraliza os efeitos nocivos do tabaco

O tomate pode reparar os danos causados ao corpo por causa do tabagismo. O tomate tem ácido cumárico e ácido clorogénico que protegem o seu corpo de agentes cancerígenos que são produzidos no seu corpo por causa do tabagismo. O consumo regular de tomates pode reparar os danos pulmonares no corpo.

Os investigadores descobriram que as pessoas que consumiram mais de 2 tomates por dia experimentaram redução nos danos pulmonares, em comparação com aqueles que consumiram menos de um tomate por dia. Então é preciso comer entre 2-3 tomates diariamente para os ex-fumadores rapidamente limparem o seu organismo.

Ajuda na perda de peso

Os tomates são realmente baixos em calorias porque um tomate contém apenas 18 mg de calorias e comer 2 tomates por dia lhe dará menos de 50 calorias. E uma xícara de tomate contém 0,2 g de fibra solúvel e 2 g de fibra insolúvel. Ambas as fibras são essenciais para a perda de peso. A fibra solúvel no tomate forma um gel como substância no intestino grosso que funciona como fonte de alimento para as boas bactérias intestinais. Ajuda a reduzir a absorção de alimentos tornando-o mais cheio, por isso leva à perda de peso.

Está cientificamente provado que comer tomate pode aumentar o metabolismo lipídico, estimulando a expressão de genes associados à oxidação de ácidos gordos. Ajuda no corte de calorias e a queimar gordura facilmente.

Agora que você já conhece os melhores benefícios de comer Tomate. faça um favor a si mesmo e coma tomates crus ou cozidos para obter o máximo de benefícios para o seu corpo e viver uma vida saudável.

Continue Reading

Alimentação

A Dieta Viking

A dieta viking era composta principalmente de carne, peixe, vegetais, cereais e produtos lácteos. Alimentos doces como bagas, frutas e mel…

Published

on

Os Alimentos e a Dieta Viking

A dieta viking era composta principalmente de carne, peixe, vegetais, cereais e produtos lácteos. Alimentos doces como bagas, frutas e mel também foram consumidos. Os vikings precisavam de alimentos de alta energia ricos em gorduras para sustentá-los, especialmente durante os meses rigorosos de inverno. Eles tinham uma dieta variada que incluía uma mistura de fontes de proteína, como carne e peixe, juntamente com alimentos à base de plantas.

A carne desempenhou um papel significativo na dieta Viking, sendo a carne de porco uma escolha comum devido à sua facilidade de criação e rápida maturação. Eles também consumiam carne bovina, carneiro, cabras e até cavalos como alimento. No entanto, o consumo de carne de cavalo levou a conflitos com as crenças cristãs, pois era considerado tabu sob a doutrina da igreja.

O peixe era outro alimento básico na dieta viking devido à sua proximidade com o mar e rios. Os arenques eram abundantes e preparados de várias maneiras, como secagem, salga, defumação, decapagem e conservação em soro de leite. Os vikings eram caçadores habilidosos que capturavam renas, alces e até ursos para consumo.

Em termos de métodos de cozedura, a fervura era a maneira preferida de preparar carnes entre os vikings. Um guisado de carne cozida chamado skause era uma peça central comum das suas refeições. Enquanto assar e fritar não eram tão prevalentes na cozinha viking como ferver.

No geral, a dieta Viking foi caracterizada pela sua dependência de alimentos de alta energia, como carne e peixe, juntamente com uma variedade de ingredientes à base de plantas que forneciam nutrientes essenciais para a sua sobrevivência em ambientes desafiadores.

Os Alimentos dos Vikings

Eles consumiam alimentos doces como bagas, frutas e mel. Carne e peixe eram itens básicos nas suas refeições diárias, com evidências sugerindo que eles comiam uma variedade de criaturas marinhas, como arenque e baleias. Em terra, criavam animais como gado, ovelhas, cabras, porcos e galinhas para carne e lacticínios.

Carne e Peixe

  • Os vikings consumiam alguma forma de carne todos os dias, com uma parte significativa proveniente de peixes devido à sua experiência na pesca.
  • Eles provavelmente caçavam animais terrestres como coelhos, renas e possivelmente ursos, além de animais domesticados.

Grãos e Pão

  • Os grãos eram uma parte crucial da dieta viking, sendo a cevada o grão mais comum, juntamente com centeio, aveia e, às vezes, trigo.
  • O pão feito de cevada moída misturada com água era um alimento básico nas refeições. Era tipicamente ázimo e cozido fresco de cada vez.

Produtos lácteos

  • Os lacticínios desempenharam um papel vital na nutrição viking. Eles mantinham animais principalmente para a produção de leite e faziam manteiga a partir de creme de leite através de agitação intensiva manualmente.
  • Outros produtos lácteos incluíam queijos semelhantes a queijos de coalhada macia, como mussarela ou paneer. Skyr, um queijo macio parecido com iogurte grego, mas tecnicamente diferente, também fazia parte da sua dieta.

Vegetais da Era Viking

  • Apesar de não terem acesso a técnicas agrícolas modernas para a disponibilidade de produtos durante todo o ano, os vikings consumiam vários vegetais como cebola, alho selvagem, leguminosas (ervilhas e feijões), vegetais de raiz (beterraba) e cenouras.
  • Os vegetais de raiz eram especialmente importantes, pois podiam ser armazenados durante o inverno, simplesmente deixando-os no chão.

Em resumo, a dieta Viking era rica em proteínas de carne e peixe, complementada por grãos como cevada para carbohidratos, juntamente com lacticínios para nutrientes essenciais. O seu consumo de vegetais e algumas frutas sazonais fornecia vitaminas adicionais necessárias para a saúde geral.

Continue Reading

Alimentação

Benefícios das Maçãs para a Saúde

Benefícios das maçãs para a saúde. As maçãs são uma fruta popular e nutritiva que tem sido consumida há séculos. Elas oferecem uma ampla gama de…

Published

on

Benefícios das maçãs para a saúde

As maçãs são uma fruta popular e nutritiva que tem sido consumida há séculos. Elas oferecem uma ampla gama de benefícios para a saúde, que podem ser atribuídos ao seu rico teor de nutrientes e vários compostos bio-activos. Neste ensaio, vamos explorar alguns dos incríveis benefícios das maçãs e como elas podem contribuir para um estilo de vida saudável.

1. Ricas em nutrientes

A maçã é uma excelente fonte de vitaminas e minerais essenciais, como vitamina C, vitamina K, potássio e fibras alimentares. Eles contêm grandes quantidades de antioxidantes, que ajudam a proteger o corpo dos radicais livres e reduzir a inflamação. Isto faz das maçãs uma fruta altamente nutritiva que pode ser facilmente incorporada numa dieta saudável.

2. Controlo de peso

Devido ao seu alto teor de fibras, as maçãs podem ajudar a promover uma sensação de saciedade e reduzir o apetite, tornando-as um lanche ideal para o controle de peso. As fibras também ajudam na digestão e podem ajudar a prevenir a prisão de ventre e outros problemas digestivos.

3. Saúde do coração

As maçãs contêm fibras solúveis, que demonstraram reduzir os níveis de colesterol mau (LDL) e aumentar os níveis de colesterol bom (HDL). Além disso, os antioxidantes encontrados nas maçãs podem ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas, prevenindo a oxidação do colesterol LDL.

4. Função cognitiva melhorada

Estudos sugeriram que o consumo de maçãs pode estar associado a um risco reduzido de doença de Alzheimer e declínio cognitivo. Isto é atribuído à presença de antioxidantes e compostos anti-inflamatórios, que podem ajudar a proteger o cérebro de danos e apoiar a função cognitiva saudável.

5. Suporte do sistema imunitário

As maçãs são uma fonte rica em vitamina C, que desempenha um papel crucial na manutenção de um sistema imunitário saudável. Consumir maçãs regularmente pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico e proteger o corpo contra várias infecções e doenças.

Em conclusão, as maçãs oferecem uma infinidade de benefícios para a saúde, incluindo controle de peso, saúde do coração, função cognitiva melhorada e suporte do sistema imunológico. Ao incorporar maçãs na sua dieta diária, pode desfrutar destes benefícios e contribuir para a sua saúde e bem-estar em geral.

Continue Reading

PODCAST

Categories

Tags

Comentários Recentes

Mais Lidos